domingo, 5 de março de 2017

Medo bobo



Depois de um tempo, comecei a não acreditar em segundas chances. Algo que já não deu certo uma vez, não dará certo nunca. Mas um dia você voltou, e eu não vou mentir, pensei na possibilidade de darmos certo de novo, mas a pergunta é, será que um dia chegamos a dar certo?
O que consideramos ''dar certo''? Duas pessoas ficarem juntas para sempre? Errado. Dar certo com alguém é ser feliz com a pessoa o tempo que vocês permaneceram juntos. Dar certo com alguém é compartilhar momentos bons, dos quais vocês nunca vão esquecer. Dar certo com alguém é acordar e a primeira coisa a fazer é olhar o celular e ver aquela mensagem de bom dia que faz o seu dia ser melhor. Dar certo com alguém é viver o hoje, sem pensar no amanhã. É engolir o orgulho e dizer o que sente. É brigar com a pessoa e cinco minutos depois pedir desculpa, mesmo se não foi você que errou. Dar certo com alguém é compartilhar, é entender o outro, é dar liberdade para a pessoa e mesmo assim ela querer estar com você. Relacionamentos acabam, mas isso não quer dizer que eles não deram certo, eles deram, enquanto duraram.
Mas o nosso caso foi diferente, duas pessoas incompatíveis tentando ficar juntas. Eu a terra, sempre pé no chão, você o fogo, sempre pronto pra explodir. Eu até hoje não sei se você chegou a me conhecer de verdade, ou apenas me interpretou do jeito que a sua cabeça quis. Eu não sou uma pessoa fácil, confesso, mas também não é tão difícil entender o que eu quero, porque é o que todos querem ou deveriam querer. Serem amados e se sentirem amados.
Fazer alguém se sentir amado não é falar 24 horas por dia com a pessoa, comprar presentes ou até mesmo dar uma aliança pra dizer que a pessoa é sua, não é nada disso. Fazer alguém se sentir amado é demonstrar que ama, é dizer que lembrou-se dela durante uma música que ouviu, ou fazendo qualquer coisa aleatória que fez ela aparecer na sua mente. É estar presente quando ela precisa de você. É dar carinho quando ela precisa de carinho. É ouvir ela contar dez vezes a mesma história e rir todas as vezes pra ver o sorriso dela mais uma vez. É fazer piada do jeito atrapalhado e desengonçado dela, mostrando o quanto ama isso. É dar segurança e confiança. É estar em qualquer lugar do mundo e mesmo assim se sentir bem por lembrar-se que ela sabe que você está e sempre estará com ela. 
É nos pequenos gestos que demonstramos o quanto amamos as pessoas, temos que nos ligar nos detalhes e não nos exageros. Tudo que é exagero é tóxico, faz mal, enjoa, soa falso. O amor não enjoa, o amor é leve, é puro, é verdadeiro. 
E pra quem diz não saber o que é o amor, é porque o ignora, não deixa ele vir, não se permite sentir. Mas dentro desse gelo todo e dessa armadura que colocamos todos os dias, somos cheios de amor, apenas devemos parar de temê-lo.
E esse foi o nosso erro, nunca dissemos ''eu te amo'' e nem sequer demonstramos isso. Talvez por nossas experiências anteriores terem nos abalado tanto a ponto de esperarmos demais do amor, achando que ele é algo forte demais para ser sentido por duas pessoas tão diferentes e com experiências tão desastrosas. E foi só quando você foi embora que eu percebi isso. Não que eu não tenha te amado, mas que não me permiti sentir isso. E nem você. 
Tudo bem, a gente deu certo, de um jeito meio torto, totalmente errado, mas foi divertido até onde levamos, o que quer que tenhamos sentido um pelo outro, foi verdadeiro. Mas foi. Se foi. E por culpa do nosso medo bobo, nunca iremos descobrir o que de fato foi.








0 comentários:

Postar um comentário

 

Chá das Cinco Template by Ipietoon Cute Blog Design and Bukit Gambang